sexta-feira , 19 julho 2019

Aluno reprovado em novo exame não fará residência médica, diz MEC

Aluno reprovado em novo exame não fará residência médica, diz MEC

Exame Nacional de Medicina

O primeiro Exame Nacional de Medicina, foi anunciado pelo Ministério da Educação (MEC), e será aplicado ainda no ano de 2016, sendo a sua previsão para agosto desse ano, o exame foi criado com o objetivo de avaliar de forma contínua e progressiva os estudantes de graduação em Medicina, durante o decorrer de seu curso.

Os estudantes devem fazer essa avaliação a cada 2 anos, período de aplicação definido pelo Governo, a ideia e a criação do exame foi dada pelo CNE o Conselho Nacional de Educação, no ano de 2014, e os estudantes do segundo, quarto e sexto ano do curso de graduação em Medicina deverão passar por essas provas quando estiverem cursando os anos em questão.

O ministro da Educação Aloizio Mercadante, as avaliações serão ainda usadas como critério para a residência médica, e ainda uma forma de avaliar o progresso e conhecimento dos futuros médicos, e ainda medir a qualidade do ensino dado pelas instituições que oferecem o curso de Medicina, a prova segundo o ministro será bem completa.

Ao todo o estudante deve em seus anos de graduação fazer três exames avaliatórios, e o seu último exame será no sexto ano de graduação, e seu caráter será eliminatório, ou seja, o estudante que não obter nota que fique abaixo da nota definida de corte, não receberá o diploma em Medicina, e também não poderá fazer a residência médica, com isso o estudante deve refazer o último exame, em caso de reprovação na última prova.

As provas aplicadas durante o segundo e quarto ano de graduação em Medicina será apenas para critério de avaliação e acompanhamento do desempenho do aluno, não sendo usado como critérios avaliativos, o estudante fica como uma espécie de treineiros, como nas provas do Enem, que os estudantes treineiros usam os resultados no exame apenas como critério de autoavaliação.

A nota de corte das provas será previamente definida por uma especie de painel de especialistas durante cada aplicação das provas, e as provas serão compostas por provas escritas e também por provas de avaliação de habilidades, dessa forma será definido qual é o resultado médio esperado do estudante nas provas do exame.

Os alunos que ingressaram no curso de Medicina no ano de 2015 serão os primeiros estudantes a realizar as provas desse exame, e é esperado que cerca de 20 mil estudantes do curso de Medicina de todo o país façam as provas desse exame ainda no ano de 2016.

Revalida Exame

As provas desse novo exame que será aplicado pelo MEC, tem características parecidas com as do conhecido exame Revalida, que serve para avaliar estudantes que concluirão o curso de Medicina fora do Brasil e desejam fazer a revalidação do seu diploma no país, e para que dessa forma caso queira poder exercer a profissão no país.

O Revalida foi criado no ano de 2011, antes desse exame eram as próprias instituições de ensino que aplicavam as provas para que os estudantes pudessem revalidar seu diploma de Medina no Brasil. Com a criação do Revalida o processo ficou unificado e muito mais fácil, pois a prova unificou as diretrizes curriculares dos cursos de Medina existentes em todo o território brasileiro.

O Revalida tem uma taxa de aprovação em torno de 30% á 50% dos médicos que buscam a revalidação de seu diploma através do Exame, e caso seja reprovado o profissional tem a chance de prestar de novo a prova no próximo ano, e é vetada a atuação dos profissionais que se formaram fora do país no curso de Medicina.

No ano de 2015 foram pouco mais de 1500 profissionais inscritos para a prova do Revalida, e pouco mais de 50% foram aprovados.

Dicas Enem 2016: http://enem2016.biz

5.0
03

Sobre Concursos Abertos